quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A Filha do Ferro - 2º livro de Encantados de Ferro

Julia Kagawa já começa o livro destroçando corações. 
Minha nossa, quantas vezes esse romance proibido de Ash e Meghan pensou meu coração... Ai! ( continue... não fique só nessa parte...)
[ Recomeçando...]
Julia Kagawa... Que coisa maravilhosamente inesperada você fez no final, hein?
A Filha do Ferro já começa com um bombardeio de emoções, acompanhado de doses e mais doses de fantasia. Não tarda nem sequer 2 capítulos para que a aventura\ ação entre arrasando... E é nessas sensações que o livro passa, jogando o leitor de uma lado a outro de tal forma que me senti meio atordoada.  
Tanta coisa acontecia ao mesmo tempo,  tantas teorias se formavam a torto e á direita na minha cabeça (tudo em vão, claro, não consigo acertar uma da Tia Julie) e   sofria da mais simples e pura agonia que a palavra proibido causava ( e ainda causa)
Nesse segundo volume conhecemos ainda mais do meu maravilhoso Nevernever. Temos uma aprofundada em... Bom, em tudo. Nas cortes, suas leis, governantes, e sim, conhecemos mais lugares mortais e encantadores (sim, ao mesmo tempo, venhamos e convenhamos, tudo por lá é assim).  Também somos apresentados a  personagens secundários que são bem diversificados entre si ( vocês precisam conhecer a Lea). 
(Relembrando os "maus" momentos...) Quase eu tive eu parada cardíaca quando houve uma ameaça de triangulo amoroso. Quero dizer, quem sabe até tenha, mas, Céus como seria bom que não tivesse . É muita burrice de Meghan se isso ocorrer, principalmente depois daquele final (SANTA PACIÊNCIA, GAROTA!!!). 
E outro ataque quando vírus fez algo chocante com nosso querido Príncipe de Inverno... 
Eu achei tão divertida aquela cena do Baile! Em especial quando... Não... Acho que isso seja  spolier... Bom, então falando algo que não seja spolier... Nesse livro nossa meia-fada princesa de Verão se supera! Além de um monte de poderes (super d+) surgirem ela ainda lida com muita pressão sem sair chorando pelos cantos (só uma ou duas baixas, mas nada que a impediu de agir).
Grim, Ash,Puck, vocês quase me mataram de rir mais de uma vez, o que não tirou minha vontade de esganar vocês  algumas vezes (menos você, Ash :).
E algo que mais  me impressionou no livro inteiro foi o final (repetindo pela centésima vez)
Para vocês terem um noção, meus olhos se encheram de água por dois motivos contrários.  
Virando a última página me senti vazia e melancólica e, claro, com um desejo semi incontrolavél de ler sua continuação, The Iron Queen (A Rainha do Ferro). 
Não sei, mas acho que vi em algum lugar que a Underworld vai lançar ainda esse ano... e, não eu não vou esperar para compra aqui. Quando eu ver esse livro só vou solta-lo quando tiver terminado, juro (um juramento encantado?) .
Agora, a última coisa que tenho para falar. Você ainda não leu o Rei do Ferro? 
O que raios  está esperando? Leia imediatamente!
Quanto ao pessoal que já leu... Não vou atormenta-los mais ainda dizendo lhes que A Filha do Ferro é melhor que seu antecessor (ops!), não preciso,vocês já devem estar certamente ansiosos.


Após  Ash ajudar Meghan a resgatar seu irmão das garras (devo dizer, tentáculos?) do Rei do Ferro, o príncipe de Inverno veio cumprir a parte do seu acordo, levar a princesa para a Corte de Inverno. 
Meghan estava aprisionada na corte, quando um acontecimento abala todo o Nevernever, O Cetro das Estações foi roubado, bem de baixo do nariz da Rainha. 
Encolerizada, Mab, certa de que foi Oberon que roubou o Cetro não exita em travar uma guerra com seu velho inimigo. Por mais que Meghan lhe falasse que ela viu os encantados de ferro roubando o cetro. 
Agora repousa em suas mãos o destino do Nevernever (ah, e sim, também do mundo mortal) que pode ser destruído pelos Encantados de Ferro enquanto as Cortes estão enfraquecidas... Mas isso também significa para Meghan unir forças com Ash... 





Um comentário:

Luana - LL disse...

Eu tenho uma vontade enorme de ler essa série, e só pelo seu entusiasmo eu fiquei: Preciso logo desses livros! haha

beijos
Luana - Lendo ao Luar